“Ao teu lado…”

“Ambos sabemos que eu não sou quem precisas para estar ao teu lado…” A verdade cruel das palavras de quem já não se imaginava noutra casa que não fossem os braços dele estava presa no coração e na garganta, há muito tempo. Até que ela teve coragem de a dizer. Ficou desfeita e aliviada ao mesmo tempo. 
Mas para quê prolongar a ilusão? Para quê adiar a inevitável despedida? Ele não teve forças para ripostar. Sabia que ela tinha razão e também ele vivia na angústia de procurar o momento certo de dizer o que acabava de ouvir. 
Viraram costas um ao outro nesse dia, não porque não gostassem um do outro, mas tinham percursos a fazer completamente opostos e não seria justo, nem para um nem para o outro, deixarem de fazer esse caminho. 
Mas, no coração, onde o tempo e o espaço são vividos de maneira diferente, só havia um caminho, aquele que os iria colocar de novo frente a frente. Anos mais tarde, voltaram a encontrar-se por acaso e tudo fez sentido naquele momento. Não tinham quaisquer dúvidas de que queriam estar ao lado um do outro. E essa era a verdade.

Créditos da imagem: Nathalie Aguiar

Arquivo

2 Comments

  1. Setembro 7, 2017
    Reply

    Perfect work you have done, this web site is really cool with wonderful information.

    • Helena Simão
      Setembro 8, 2017
      Reply

      Thank you for your comment!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *