Às vezes

Às vezes, o comboio errado leva-nos à estação certa. Por isso, mais vale arriscar, mesmo que nos enganemos uma e outra vez. Vale a pena comprar o bilhete, entrar, nem que seja para apreciar a viagem.
Às vezes, as palavras erradas levam-nos à pessoa certa. Por isso, vale a pena conhecer pessoas, não as julgar pela aparência, procurar o melhor que elas têm e dar-lhes o melhor que temos, mostrar-lhes o melhor que somos.
Às vezes, o silêncio diz mais do que qualquer palavra. Vale a pena acreditar, confiar. Mesmo que nos enganemos algumas vezes, e vamos enganar, mesmo que nos magoemos, e vamos magoar. Entre tantos enganos e frustrações, haverá alguém certo para nós.
Às vezes, a desilusão e a tristeza transportam-nos, sem imaginarmos, para a felicidade. O que hoje é despedida, amanhã será reencontro, o que hoje é fim, amanhã será princípio, o que hoje nos faz chorar, amanhã fará sorrir.
Às vezes, o que mais queremos não é o melhor para nós. Pelo menos, neste momento. Não somos nós que decidimos quando ou onde. O que é melhor para nós há-de surpreender-nos. Quando estivermos prontos.

Créditos da imagem: Direitos Reservados

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *