Roma: fonte de inspiração

Impressiona pelo tamanho, pela beleza, pela exuberância, pela grandiosidade. Chegar à praça, onde se encontra a Fonte de Trevi, em pleno centro histórico de Roma, em Itália, é um momento arrebatador. Com tantos turistas a querer aproveitar todos os segundos, junto daquela que é uma das mais belas fontes do mundo, desvanece-se um pouco a magia que o momento merecia. Mas, após este primeiro impacto, os nossos olhos deixam-se cativar pelos pormenores daquele quadro com 26 metros de altura e 20 metros de largura. E acabamos por ignorar a azáfama de ruído à nossa volta.
A obra resulta de um antigo costume romano de erguer uma fonte no final de um aqueduto. Neste caso, ali desembocam três vias, daí o nome trevi. Conta a lenda que uma jovem teria salvo um grupo de soldados romanos ao guiá-los para esta fonte. Isto há cerca de dois mil anos. A fonte atual, do século XVIII, de estilo barroco, foi projetada por Nicola Salvi.
Hoje, quem ali vai, não procura matar a sede, antes saciar a alma. A imponente fonte é uma obra de arte ao ar livre, um inesperado presente de uma cidade que, mesmo sem aquele cenário, já era uma verdadeira fonte de inspiração. Mas não seria a mesma coisa, principalmente, para os apaixonados que ali lançam as suas moedas e todos os seus desejos.

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *