Esqueci-me

Esqueci-me de amar no dia em que te esqueci. Esqueci-me de regar o coração e de cuidar dele no dia em que fiquei sem coração. Esqueci-me de me alimentar no dia em que percebi que o vazio que tinha no estômago era, afinal, o vazio da tua ausência. Esqueci-me de respirar no dia em que o ar que entrava nos meus pulmões deixou de me fazer falta. Esqueci-me de viver no dia em que a vida me tirou todos os motivos para continuar a lutar. Limitei-me a sobreviver.
É mais fácil esquecer, deixar que as memórias sejam sepultadas no vazio, guardar as lembranças num cofre com um código que desconheço e que prefiro ignorar. É mais fácil arrancar um a um os pequenos fragmentos de vida que me magoam e que, por escassos momentos, me lembram que houve amor onde agora só resta dor.
Esqueci-me de chorar no dia em que te deixei para trás. Foi melhor assim. Virei as costas a esse mar de sofrimento, onde já não cabiam tantas lágrimas Não podia carregar mais essa saudade. Saudades de quê? Já não me lembro. Esqueci-me…

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *