Ontem

Ontem, todas as sombras se dissiparam e o meu céu ficou azul, brilhante como o reflexo do sol na água do mar. Acreditei em ti, disseste o que eu mais queria ouvir, mas disseste-o sem convicção. Não querias dizer o que disseste e, mesmo assim, disseste. Pensavas que iludias o meu coração durante algum tempo. Não sabias que dilaceravas a minha alma à medida que o tempo passava.
Ontem, partiste a minha esperança em mil pedaços. A ilusão é passageira, a paixão é temporária, só o amor pode erguer um castelo de coragem. Só o amor pode dar vida às flores que crescem nos sítios mais inóspitos e, mesmo assim, se tornam belas. Só o amor pode reconstruir um coração despedaçado, só o amor tem a chave do verdadeiro sorriso. Ontem, fizeste-me chorar de desalento.
Mas, finalmente, abriu-se a cortina da realidade, aquela que eu não estava a ver. Às vezes, é mais fácil fugirmos para uma gruta de silêncio. Ontem, não estava pronta para te dizer adeus. Mas, depois da partida, há todo um infinito de chegadas. Depois de enxugar as lágrimas, não há limites para voltar a sorrir.

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *