À tua espera

Não estava à tua espera, mas quando apareceste tudo fez sentido: o porquê de estar ali, a razão para me ter atrasado, a chave para tudo o que se tinha passado naquele dia, tudo ao contrário do que tinha previsto. Não estava à tua espera e, no entanto, quando te vi, percebi que não esperava mais ninguém. Não podia esperar outra pessoa, apenas tu.
Foi o teu sorriso que deu cor ao meu dia e, no entanto, chovia torrencialmente. Chegaste ali, encharcado, como se o sol brilhasse. Na verdade, eras tu que brilhavas e todo o meu corpo compreendeu imediatamente. Eras tu que faltavas para que todas as pontas soltas da minha vida se juntassem. Eras o algarismo que faltava para a combinação ficar completa e abrir o cofre.
Eu não sabia nada disto quando me ofereceste ajuda para ordenar os papéis que caíram ao chão. Tão seguro e tão confiante. Mas o meu coração percebeu, naquele momento, que nos voltaríamos a cruzar, que os nossos caminhos, até ali paralelos, iam dar ao mesmo mar. Não estava à tua espera e, no entanto, foi por ti que esperei.

Créditos da imagem: Direitos Reservados

Arquivo

2 Comments

  1. Setembro 7, 2017
    Reply

    Greetings! Very helpful advice on this article! It is the little changes that make the biggest changes. Thanks a lot for sharing!

    • Helena Simão
      Setembro 12, 2017
      Reply

      Thank you for your comment!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *