Confiar

É no silêncio que me encontro, que apaziguo a dor dos momentos difíceis, que acalmo o sofrimento das despedidas inesperadas, que guardo gestos de um amor que se diluiu na sombra dos dias. É no silêncio que me permito ser quem sou, que reflito sobre as pedras que vão surgindo no caminho, que sonho com os sonhos pelos quais o meu coração bate mais forte.
É no silêncio que oiço o que a vida me quer dizer, que vejo as indicações que me dizem para onde ir, que absorvo a energia, a boa energia que emana da natureza. É no silêncio de momentos, onde as imagens, os cheiros e os sons mágicos do universo valem tudo e tudo dispensam, que o meu coração vibra e a minha alma cresce. É na simplicidade que está a verdadeira ambição de um caminho que, por mais voltas que dê, precisa de paz, de sossego, de mar, de céu, de montes verdejantes, de silêncio.
É o silêncio que me faz renascer dos tortuosos dias agitados, que não fazem senão sugar toda a paz interior. É o silêncio que me dá alento para abrir a porta à vida, aos ruídos das pedras que rolam caminho abaixo ou das tempestades que se abatem sem piedade. Esse silêncio chama-se confiar.

Créditos da imagem: Melânia Gomes
Poderão ver mais fotografias em facebook.com/MelaniaGomesOficial

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *