Deixa ir

Deixa a mágoa seguir a corrente até que os teus olhos deixem de a ver, deixa-a afastar-se, desprender-se de ti. Tu és muito mais do que um coração ferido. Deixa a tristeza vir ao de cima. Às vezes, é bom chorar, desabafar, não ter receio de mostrar que somos frágeis. Deixa que o aperto que sentes no coração se acalme. Dá-lhe tempo, tem paciência. A dor vem, mas também vai. E, depois do desalento, há sempre uma brisa de ânimo.
Deixa que o vento te acaricie o rosto, sente-o, respira-o. O vento traz liberdade, traz um sinal de esperança. Deixa os outros seguirem com as suas vidas. Talvez precisem de ir para que outras pessoas possam vir. Talvez precisem de te dar espaço para que outras pessoas se possam aproximar de ti.
Deixa os dias passarem. Ontem não correu bem? Hoje vai correr. Ontem, sentiste-te como uma sombra invisível incapaz de mudar o que quer que seja? Hoje, a tua coragem vai dar-te a sabedoria que precisas. Deixa que a vida te ofereça presentes inesperados. Não os rejeites, aceita-os com um sorriso. Deixa que a vida te faça bem!

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *