Não te importes

Não importa se os outros não acreditam em ti e se, em vez de te incentivarem, te querem levar a desistir. Importa que tu acredites. Se o teu coração te diz para ir, faz o possível e o mais que conseguires para ir. Não importa se te chamam louco. O que está mais além, o que é diferente dos outros, o que não é normal será sempre esquisito até ao dia em que alguém lá chega. Importa que tenha a tua cara e que te divirtas.
Não importa se doeu, se te fez sofrer, quando acabou. Importa se te fez feliz, se te fez viver, se te fez respirar, quando começou. Não importa se durou, se foi certo ou errado, se podias ou não podias. Importa se foi verdadeiro, se foi intenso, se foi do coração. Não importa se tens muito ou se tens pouco, importa se és muito, para ti e para os outros.
Não importa se estás num pântano de dúvidas e sentes os pés presos no lodo. Importa ter paciência para esperar. Os pontos de interrogação e as reticências são como nuvens que, a seu tempo, se vão dissipar, mesmo que tenhas de esperar um pouco. E o teu espírito será sempre um espírito livre que nada nem ninguém consegue travar. Por isso, não te importes.

Créditos da imagem: Direitos Reservados

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *