Onde estás?

Onde estás? Não sei por que te procuro, mas sei que és a chave para me encontrar. Não sei quem és, mas sei que és o segredo de mim própria. Não sei onde estás, mas sei que és muito mais do que um agora. Onde estás? Por que razão o meu coração grita aos quatro ventos por ti? Por que te procura tão sofregamente como se o seu bater dependesse de ti?
Se os meus olhos não sabem de ti, como posso esperar que o meu coração te reconheça? És o fantasma do meu passado ou a sombra do meu futuro? Não importa. Apenas quero saber onde está o código da minha serenidade, a combinação da minha paz, a chave do meu sorriso, o segredo da minha força. Por essa energia, estarei atenta uma vida inteira. Por essa luz, procurarei em todos os lugares, mesmo os mais escondidos e longínquos.
É nesses pequenos nadas que, por vezes, encontramos respostas inesperadas. Não sei quem és nem o que pretendes de mim e, no entanto, sinto-me perdida sem ti. É como se fosses o farol que me guia para terra, em segurança, numa noite de tempestade. É como se fosses a estrela que eu só consigo ver numa noite de denso nevoeiro. Onde estás?

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

2 Comments

  1. Elsa Janes
    Fevereiro 7, 2017
    Reply

    “É como se fosses a estrela que eu só consigo ver numa noite de denso nevoeiro”.
    Porque há coisas que só o coração pode ver 🙂
    Obrigada!
    Continue…
    Elsa

    • Helena Simão
      Fevereiro 7, 2017
      Reply

      Bom dia Elsa, mais uma vez, obrigada pelos seus belíssimos comentários e pelo incentivo. Espero que continue desse lado. Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *