Deixar ir

O que dizer quando já não há nada para dizer? O que fazer quando a razão nos empurra para o lado oposto ao do coração? Para onde ir quando não nos resta mais nada além do vazio de não ter um lugar que se possa chamar casa?
Quando se está numa espécie de impasse, num local que não é nem partida nem chegada nem sítio nenhum, quando as dúvidas são tantas que qualquer palavra que é dita é descabida, nada resta senão agarrar nas forças que restaram, na esperança que sobreviveu e partir. Por mais que custe começar do zero, sem nenhuma perspetiva, sem nenhuma indicação sobre o caminho ou sobre o sentido, começar é tudo o que precisamos. Não é desistir, é deixar de insistir.
A vida tem formas estranhas de nos enviar uma mensagem. Ou somos nós que andamos desorientados com tantas dúvidas que nos assolam. Não é desistir porque se é fraco, é mudar de rumo porque se é corajoso. Não é desistir, é, simplesmente, deixar ir. Quando as palavras estão a mais, nada resta senão a voz do coração. Quando as palavras deixam de fazer sentido, descobres a paz do silêncio.

Créditos da imagem: Rita Catarino
Poderão ver mais fotografias aqui.

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *