Não consegui despedir-me

Não consegui despedir-me de ti. Faltou a coragem para me mostrar, tal e qual era, aos teus olhos que nada diziam e tudo percebiam. Faltou a coragem para te dizer adeus nem que fosse com um abraço ou a minha mão a apertar a tua. Faltaram as palavras, sobrou o silêncio, demasiado embaraçoso, demasiado assustador.
Não consegui dizer-te que não nos iríamos ver mais, que eu precisava de ir, que a minha vida não estava ali como a tua estava. As vidas arrumam-se em espaços diferentes e não vale a pena forçar e tentar arrumá-las noutro lado. Os nós acabam por se desatar e, depois, nada resta, a não ser a culpa e o arrependimento.
Não consegui despedir-me. O medo roubou-me os movimentos, calou-me as palavras, impediu-me de te dar o beijo que te queria ter dado. Tinha receio do que irias pensar de mim, da forma como os teus olhos me iriam questionar. Não soube ser forte porque, no fundo, estava muito perto de vacilar.
Se me tivesses dado a mão, teria ficado, se os teus olhos não tivessem desistido dos meus, teria arrumado a minha vida junto da tua. E talvez a vida nos tivesse trocado as voltas e as nossas voltas acabassem lado a lado.

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

6 Comments

  1. Hello There. I discovered your weblog the usage
    of msn. This is a really neatly written article. I will make sure to bookmark it and come back
    to learn more of your helpful info. Thank you for the
    post. I’ll certainly return.

    • Helena Simão
      Maio 25, 2017
      Reply

      Thank you Nobuko Rosebrook!

    • Helena Simão
      Maio 29, 2017
      Reply

      Thank you very much for your comment. I hope you’ll be back!

  2. Setembro 7, 2017
    Reply

    Rattling fantastic information can be found on blog.

    • Helena Simão
      Setembro 8, 2017
      Reply

      Thank you for your comment!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *