Não digas nada

Não digas nada… Guarda as tuas palavras para quando o vento não as quiser levar. Não digas nada… Aproveita o silêncio do momento, aproveita estes segundos que nos separam do precipício da distância, do até nunca mais. Não voltaremos a estar aqui, os dois, lado a lado, com o mesmo horizonte, a mesma meta, o mesmo destino.
Não tinha de ser assim, mas é a iminente despedida que faz deste momento um marco que vou recordar sempre, um momento de intensa luz antes do escurecer. É esta fragilidade do presente que o torna tão especial, como uma fotografia que dispensa quaisquer legendas.
Não digas nada… Os teus lábios, mesmo sem se mexerem, dizem tudo. Os teus olhos, mesmo sem me encararem profundamente, revelam tudo. Não digas nada e estará tudo dito. As palavras mais belas são as que pairam no ar, suspensas entre a timidez de um amo-te e o receio de um fica. As palavras mais belas são as que adivinho, são as que sentes sem que as ouses dizer.

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *