És tu que contas

No fim de contas, és tu que contas. São as contas que prestas a ti próprio, aos teus olhos, ao teu coração, à tua consciência. No fim de contas, é contigo que tens de lidar, com o que ficou para trás e não devia, com o que devia ter ficado para trás e não ficou. No fim de contas, és tu que vais ter de responder pelos teus atos, és tu que te vais questionar “valeu a pena?”
No fim de contas, és tu que te vais arrepender de não ter feito o que o teu coração desejava que fizesses, de não ter abraçado quem realmente importava, de não ter amado loucamente sem travões e sem o tempo a contar.
No fim de contas, as contas que vais fazer devem ser simples: soma sorrisos, alegrias e sonhos, multiplica paz, ajuda e gratidão, diminui lágrimas, angústias e tristezas, divide o que tens com o outro.
No fim de contas, o tempo que falta é o tempo que pode ainda contar e só tu podes fazer com que conte, mesmo que até agora tenhas andado apenas a ensaiar para uma peça que é a tua vida, mesmo que tenhas andado distraído. Não deixes que a vida te passe ao lado. Vive-a intensamente e não faças contas, faz com que a vida conte.

Créditos da imagem: Direitos Reservados

Arquivo

2 Comments

  1. Setembro 7, 2017
    Reply

    Sweet website , super layout, rattling clean and use pleasant.

    • Helena Simão
      Setembro 25, 2017
      Reply

      Thank you for your comment!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *