As coisas boas

As coisas boas não têm prazo de validade. As coisas boas não têm local nem hora marcada. Acontecem ao virar da esquina, ao subir as escadas, ao sair de casa. Acontecem, simplesmente, quando não estamos à espera. Estar à espera quer dizer não estar a viver o agora, quer dizer que algo não está bem. E não é assim que as coisas boas nos batem à porta, até porque, mesmo que batam, o mais certo é não ouvirmos a campainha.
As coisas boas não têm limite de tempo. A felicidade não tem de acontecer até determinada idade. Porque não são os planos que nos vão dar felicidade. A felicidade está, ela própria, em fazer planos, na vontade de querer construir castelos de sonhos com um sorriso estampado no rosto.
As coisas boas não têm de acontecer em dias de sol ou de chuva, não são listas que fazemos, como se fossem obrigações. As coisas boas são presentes que a vida nos dá quando estamos preparados para os desembrulhar. Só nessa altura, nem antes nem depois. A vida faz contas ao tempo de outra maneira. As coisas boas surgem quando aprendemos o significado da palavra gratidão.

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

2 Comments

  1. Setembro 7, 2017
    Reply

    Definitely, what a fantastic website and informative posts, I will bookmark your blog.Best Regards!

    • Helena Simão
      Setembro 12, 2017
      Reply

      Thank you for your comment!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *