Há esperança

Deixa que a brisa fresca te envolva, te abrace e te alimente. Deixa que a água salgada devore todos os males de que o teu corpo se queixa e dissolva todos os pensamentos negativos que se esconderam nos recantos mais silenciosos de ti. Deixa que o sol te beije como quem beija a pessoa amada, com a sofreguidão do primeiro encontro, ensaiado vezes sem conta na tua imaginação.
Deixa que a natureza dê o seu melhor para que encontres a tua paz. É impossível não acalmares esse coração que, às vezes, pondera saltar pela boca, que, às vezes, quer fugir em vez de aceitar, de deixar para trás. É impossível, perante tamanha exuberância de cores, de cheiros e de sons, não nos sentirmos inebriados, contagiados por uma paz que brota em cada grão de areia dourada, em cada gota deste mar imenso, em cada pedaço de nuvem que pinta o céu.
Essa é a paz que escorrega por entre os nossos dedos nos dias em que somos menosprezados, nos dias em que somos criticados, nos dias em que somos levados à força pela corrente do medo. Onde há medo não há paz, onde há ansiedade não há paz. Mas há esperança. E é essa esperança que se enche, qual balão de oxigénio quando o Universo te oferece o seu melhor presente. Aproveita–o e inspira-te.

Créditos da imagem: Nathalie Aguiar

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *