Portinho da Arrábida: maravilha da natureza

De cores fortes e cativantes, a praia do Portinho da Arrábida, em Setúbal, é uma das mais bonitas de Portugal. Não é por acaso que, em 2010, foi considerada uma das Sete Maravilhas Naturais de Portugal, na categoria de Praias e Falésias. De um lado, o imenso Oceano Atlântico, com as suas águas, que nesta região se tornam calmas, e de vários tons de azul, do outro, o verde intenso da Serra da Arrábida. Sobra paz e tranquilidade, falta estacionamento. E ainda bem. Dessa forma, o encontro com esta paisagem deslumbrante faz-se mais devagar, devora-se ainda com mais apetite e saboreia-se com mais prazer.
Situa-se a 13 quilómetros de Setúbal e a 21 quilómetros de Sesimbra e está rodeada pela natureza verdejante e silenciosa da Serra da Arrábida e pela imponência dos seus rochedos. Para lá chegar, temos de subir a estrada montanhosa e estreita da serra, num percurso algo sinuoso e irregular, antes de voltar a descer. O azul profundo do mar vai fazendo companhia, assim que nos começamos a aproximar da pequena povoação que se ergue junto à praia.
O acesso automóvel está condicionado durante os meses de Verão, entre as 9 e as 18 horas, daí que se comecem a ver viaturas estacionadas na berma da estrada ainda longe do Portinho. Ultrapassada esta dificuldade, há que percorrer a pé o caminho restante até ao destino final, em média, cerca de 20 minutos. Mas vale bem a pena.
São cada vez mais as pessoas que, influenciadas pela fama da praia, vão de encontro às suas paisagens naturais e não se desiludem. Quem descobre este lugar fica inevitavelmente rendido e apaixonado.
Apesar disso, nos últimos anos, a praia tem perdido areia, sobretudo do lado Oeste, tendo ficado mais rochosa. À medida que se caminha para Este, para o lado de Setúbal, torna-se mais arenosa, pelo que já podemos descalçar os chinelos.
As cores do mar são de um azul intenso e límpido, o que nos faz querer ficar a admirá-lo sem pressas. Primeiro, vislumbramos a baía, calma e serena, depois, à medida que percorremos o caminho de acesso ao areal, vamos encontrando alguns recantos entre as rochas e a vegetação, locais aprazíveis e com menos gente.
A praia está bem servida em termos de restauração e apoios. O ponto mais negativo é, sem dúvida, a temperatura da água, que ronda os 18 graus. Para os que gostam de descobrir os segredos que se escondem debaixo de água, esta é uma boa zona para praticar mergulho, pois é reconhecida a sua diversidade marinha. O fundo do mar é considerado reserva natural.

Créditos da imagem: Helena Simão
Este texto integra a rubrica “Viajar” do portal SAPO Viagens.

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *