O que é feito de ti?

O que é feito da garra que tens dentro de ti, que costumavas erguer em nome de um sonho, do teu sonho? O que é feito daquela certeza, daquele tom seguro e preciso, com que te dirigias aos outros sempre que te criticavam, sempre que suspeitavam do teu valor? O que é feito daquele amor que brotava em cada gesto, em cada olhar, em cada palavra, em cada atitude?
O que é feito de ti? O que é feito da tua esperança, da tua força? Não é porque perdeste várias batalhas que vais desistir de travar mais uma e outra e todas as que tiverem de ser. Não é porque te sentes mais frágil ou mais fraco que vais ter desculpa para parar a meio do caminho. Os obstáculos não vão deixar de existir, as pedras vão continuar a amontoar-se no teu caminho.
Os fantasmas, em forma de medo, vão continuar a atormentar-te. Mas apenas para que te prepares, apenas para que cresças, para que aprendas a relativizar, para que aprendas a viver com os medos e dar valor ao que importa. A noite continuará a cair sobre ti todos os dias, as sombras de quem te quer perturbar continuarão a perseguir-te. Por ti, pelo melhor que podes ser, acorda a coragem que parece ter adormecido, atiça a chama da tua energia que parece quase a apagar-se. Vai e não te rendas. Em nome do teu sonho.

Créditos da imagem: Helena Simão

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *