Chegou a hora

Chegou a hora de ir atrás, de largar o tanto faz e acreditar muito. Chegou a hora de fechar de vez, de contar até três ou até mil, se for preciso, e de dar o primeiro passo. Chegou o momento, o teu tempo de sentimentos, de sentidos, de emoções. Chama-lhe lamechice ou chama-lhe viver, nos altos e baixos do carrossel da vida.
Esquece as linhas retas, os objectos alinhados, o cabelo penteado, o aspeto aprumado. Esquece a perfeição, a ilusão, a sensação de segurança. Troca o certo pelo incerto, o direito pelo avesso, o cinzento pelas cores fortes. Troca o silêncio pelos tons de uma música só tua, o andar por passos de dança que só estão na tua cabeça, a indiferença pelo sorriso contagiante. Toca, sente, desbrava, destapa, descontrai. Sonha, confia, revela, respira, relaxa.
Chegou a hora de seres tu em vez do medo, de seres tu para além do medo. Chegou a hora de te lançares na aventura maior da tua vida, de arriscares tudo, mesmo que venha a ser nada, de ires onde nunca pensaste chegar. Hoje é o dia. Ergue os olhos, alarga o horizonte, abraça todo o universo.
Chegou a tua hora.

Créditos da imagem: Helena Simão

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *