Enquanto houver amanhã

Podes cair vezes sem conta, é sinal que estás a tentar. Pode doer, é sinal que sentes. Pode parecer que chegaste ao fim da linha… Mas, enquanto houver um amanhã, há tempo para voltares a tentar. Podes desanimar demasiadas vezes, podes perder-te nos labirintos da vida, podes pensar que se esqueceram de ti e que ficaste presa ao nevoeiro da solidão… Mas, enquanto houver estrelas no céu, há tempo para recomeçares.
Podes perder a conta às reviravoltas, aos caminhos sem saída, aos sentidos proibidos da vida, mas não te baralhes com o que queres, com o que és, com o que faz o teu coração bater.
Se te faz vibrar, mesmo que não compreendas, vale a pena. Se te desperta, vale a pena. Se te faz sorrir, não há qualquer dúvida que estás no caminho certo. Por isso, avança, mesmo que tenhas de cair, acredita, mesmo que te venhas a desiludir, espera, mesmo que o tempo já tenha passado.

Créditos da imagem: Helena Simão

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *