A que sabe a felicidade?

A que sabe a felicidade? Sabe a tempo, sabe a calma, a paz. Sabe a gargalhadas, a frases inesperadas, a olhares atrevidos, a reflexos de paixão. Sabe a momentos de prazer salpicados com água fresca, quando as temperaturas sobem. Sabe a mar, a areia nos pés, a campo, a verde da natureza, a azul do céu, a branco da neve, a todas as cores do arco-íris.
A felicidade sabe a sorrisos doces, a abraços quentes, a beijos ardentes, a mãos que se tocam às escondidas, a corações que batem em desassossego antes de se encontrarem, a palavras de entrega, a gestos puros de amizades eternas. A felicidade sabe a momentos breves e intensos, sabe a intervalos de afastamento de duas pessoas, sabe a reencontros, a amanhecer, a surpresas, a pormenores, a flores que desabrocham com o sol.
A felicidade tem sabores tão distintos, como a canela, a laranja, as cerejas, a melancia ou o chocolate. Pode ser pecado, pode ser efémera, egoísta, pode não fazer sentido, ser ridícula ou absurda. mas se nos faz bem, vale a pena saboreá-la.

Créditos da imagem: Helena Simão

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *