És leve

És leve quando deixas de te importar com o que ficou para trás e aprendes a virar as costas ao que doeu. És leve quando abres o teu coração e deixas que as lágrimas sejam o reflexo do mar que os teus olhos vêem. E quando percebes que tudo é passageiro e que todos temos altos e baixos e ainda bem.
És leve quando precisas de abraçar para consolar, sorrir para entusiasmar, cantar para sonhar, dizer para aproximar. És leve quando tiras dos bolsos do teu passado todos os espinhos que ainda magoam. Guarda apenas as coisas boas, as lições que te podem vir a ser úteis mais à frente e deita fora o rancor. Deita fora tudo o que apaga esse sorriso, tudo o que desliga esse olhar brilhante, tudo o que tenta extinguir a chama da tua vida.
És leve quando todas as pedras que surgem no teu caminho são, afinal, folhas caídas de uma árvore que se está a renovar. És leve quando sonhas de olhos bem abertos para tentar absorver tudo o que está à tua volta. És leve quando sentes que há uma sinfonia orquestrada apenas para os teus passos.
És leve quando, a cada respiração, tentas guardar tudo o que estás a viver e, ao mesmo tempo, mandar embora tudo o que já foi. És leve quando és livre.

Créditos da imagem: Direitos Reservados

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *