Afasta-te

Afasta-te do que te tira luz, do que te tira energia, do que te tira vida. Afasta-te daquelas portas onde já entraste e nada encontraste. Sabes que nada há lá para ti, apenas fantasmas, apenas uma teimosia que ainda te alimenta, mas que não te faz bem.
Afasta-te de quem não sorri para ti, de quem não te abraça, de quem, em vez de te dar, apenas tira. Afasta-te de quem não te dá a mão, de quem não acredita em ti, de quem não te dá valor. Afasta-te do que não dá cor à tua vida, do que não te faz sentir, arriscar, desafiar, tentar, crescer. Afasta-te de tudo o que te tira o foco, a determinação, o sonho.
Aproxima-te de quem tem o condão de transformar a tua escuridão em luz, a tua solidão em boa companhia, os teus medos em forças. Aproxima-te dessa mão que te quer levantar, desses braços que te querem proteger, desse sorriso que te quer dar um pedaço de felicidade, desses olhos que te querem dar um mundo melhor.
Vai, se nada disto existir na tua vida, desapega-te do pouco que tiveste, segue enquanto o teu coração te disser para seguir, mesmo que não saibas para onde. Um dia, tudo o que te afastou vai aproximar-te ao que importa.

Créditos da imagem: Helena Simão

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *