Pétalas de esperança

Dá-me o teu medo, partilha-o comigo. Eu guardarei todas essas pétalas frágeis que te protegem e que fazem de ti a pessoa especial que és. Dá-me a tua mão, sem hesitações, sem desconfiança. E vem com toda a tua força, a tua coragem, a tua garra. Dá-me as tuas lágrimas e divide o teu sofrimento comigo. O teu mar de interrogações e frustrações tem no horizonte um luminoso sol que brilha sobre os lamentos que derramaste.
Dá-me o teu tempo e eu dou-te todo o espaço que cabe neste abraço de vida. Eu sou a flor que resiste à mais violenta tempestade. Sou o vento que faz cair quase todas as folhas das árvores e que as faz voar para longe, sem destino, sem anseios. Sou a semente que cai ao chão e que resiste, indiferente à chuva, à neve, à sombra, e cresce. Sou a vida que corre por todo o teu corpo.
Faço parte de ti como tu fazes parte de mim. Estamos ligados. Estamos todos ligados. O que te acontece a ti tem efeitos em mim. O que desejas, o que sentes, o que sonhas é muito mais do que uma fantasia. É vida. Por isso, dá-me o teu medo e enche a tua mão de pétalas de esperança.

Créditos da imagem: Catarina Lopes

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *