Era mais fácil

Era mais fácil não sentir, não gostar, não me deixar levar pela fraqueza de um coração apaixonado. Era mais fácil não olhar para o relógio que tarda em avançar no tempo até ao momento do nosso reencontro. Era mais fácil não fazer planos a dois, não pensar no que gostas de fazer, nos filmes que gostas de ver, no que gostas de comer.
Era mais fácil não esperar por uma mensagem, uma palavra de carinho que vale por todos os abraços que imaginei enquanto sonhava acordada. Era mais fácil não sonhar contigo. Era mais fácil não me ter cruzado contigo. Não saberia o que é ver o copo cheio e, mesmo assim, achar que está a ficar vazio. Não saberia o que é sentir-me a transbordar de felicidade e estar já em sofrimento a antecipar a tua inevitável ausência.
Não saberia o que é não querer ver mais nada além dos teus olhos e sofrer com a possibilidade de não os voltar a ver. Não saberia o que é a tortura de querer viver a todo o instante e, em vez disso, morrer aos poucos em cada despedida. Era mais fácil não sentir e apenas existir, não gostar e apenas fingir que ainda era eu.
Mas só o amor transforma os contrários em iguais, as diferenças em somas, os menos em mais. Só o amor transforma os obstáculos em degraus, as lágrimas em sorrisos, o pouco em infinito. Não fica menos difícil, mas fica mais leve.

Créditos da imagem: Helena Simão

Arquivo

2 Comments

  1. Elsa Janes
    Janeiro 17, 2018
    Reply

    Exactamente o que estou a sentir neste momento.
    Como sempre, odoro as suas publicações
    Obrigada!
    Beijinho :*

    • Helena Simão
      Janeiro 19, 2018
      Reply

      Muito obrigada Elsa!
      Um grande beijinho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *