Maiorca: praias que vale a pena visitar

Talvez seja a cor da água, de uma intensidade que os nossos olhos não resistem, ou talvez seja dos recortes curiosos da costa, que permitem esconder paisagens arrebatadoras. Podemos não conseguir explicar o que nos cativa, mas uma coisa é certa: ninguém fica indiferente à beleza das ilhas Baleares, em Espanha. O mar Mediterrâneo, que guarda carinhosamente estes pedaços de terra, é uma bênção.
Com mais de 260 praias e 50 quilómetros de costa, Maiorca, a maior ilha do arquipélago, oferece vastas experiências, que se adaptam ao gosto de cada um. Há movimento, mas também há sossego, há praias com longos areais, mas também há pequenas enseadas, chamadas calas, algumas sem areia, apenas rochedos, há locais para famílias, mas também há locais românticos.
A água é, quase sempre, calma e tranquila e a temperatura, durante o verão, nos meses de julho e agosto, chega aos 26 graus. O clima é mediterrânico com temperaturas amenas que, nos meses mais quentes, rondam os 30 graus, mas o calor acaba por ser moderado graças à brisa do mar. Os invernos são curtos e amenos, uma vez que as temperaturas raramente são inferiores a 8 graus.
Estes são os locais que mais me impressionaram pela beleza natural e energia que transmitem:

Caló des Moro

É famosa o suficiente para ser muito procurada pelos turistas, mas, simultaneamente, resguardada e afastada para ter multidões. É uma pequena praia selvagem, situada na costa sudeste da ilha, a seis quilómetros de Santanyí. Caló des Moro é, talvez, um dos últimos segredos desta ilha.


Para lá chegar, é preciso deixar o carro para trás e caminhar a pé por uma longa estrada, praticamente deserta. Já mais perto, há uns trilhos pela serra, escondidos por umas pequenas portas de madeira, que se encontram abertas. A descida para o pequeno areal faz-se por uns degraus esculpidos na rocha. A caminhada pode ser longa, mas vale a pena. A água é transparente e límpida e a paisagem é magnífica com o azul do mar a sobressair. Um verdadeiro paraíso.

Cala s’Almunia

Fica a pouco mais de um quilómetro de Caló des Moro, embora esteja sinalizada e seja mais fácil de encontrar. A água tem uma cor intensa e reluzente, que convida a dar um mergulho. Nada mais fácil. Depois de uma caminhada a pé à procura deste pedaço de tranquilidade, o que apetece é mesmo refrescar um pouco.

Praticamente não tem areia, pelo que é nos rochedos que podemos largar a toalha e o lanche, uma vez que, por aqui, não há qualquer bar ou restaurante. É um local tranquilo e virgem, ideal para quem gosta de apreciar o silêncio e ouvir apenas os sons da natureza.

Mondragó

Com parque de estacionamento pago, toda esta zona é uma extensa área verde protegida. São quase 800 hectares de reserva natural, no sudeste da ilha, que terminam com duas bonitas praias, ligadas por um caminho de pedra. A paisagem é extraordinária: o mar azul, de um lado, e, do outro, o verde dos pinheiros.


Para descansar da viagem, temos dois areais, a Cala de Sa Font de n’Alis, com restaurantes e apoio para os veraneantes, e a praia S’Amarador. Apesar de já serem bastante procuradas, conseguem estar longe o suficiente de outras praias maiores que recebem multidões. É um local com uma energia muito especial, que merece ser visitado com tempo.

Praia de Formentor

Formentor fica no norte da ilha, perto do cabo com o mesmo nome, no município de Pollença. É um extenso areal que dá a volta em torno de uma baía, protegido por pinheiros, e com paisagens de cortar a respiração. É uma das praias mais espetaculares da ilha, apesar de já ser procurada por muitos turistas.


O estacionamento é pago e os dois restaurantes existentes não são baratos, o que afasta algumas pessoas. Para compensar, a água é calma e tranquila e convida inevitavelmente a um mergulho. Vale a pena percorrer toda a praia, sobretudo os recantos mais afastados das multidões, onde é possível encontrar uma natureza mais pura e selvagem.

Cala Barques

Esta pequena praia tem algumas rochas, pelo que é preciso caminhar com cuidado, mas tem umas cores arrebatadoras. Conquistou-me pela sua calma e pelo silêncio, algo que começa a ser raro em Maiorca. Situada no norte da ilha, no município de Pollença, tem estacionamento gratuito e alguns restaurantes.
Ainda assim, apesar de ter todas as infraestruturas necessárias e próximas, não é das mais procuradas. É um pequeno segredo que nos faz bem. Protegida por imponentes rochedos, de um lado e de outro, é uma das praias que vale a pena visitar e fotografar.

Cala Llamp

Localizada a sudoeste da ilha, junto ao porto de Andratx, esta pequena enseada não tem qualquer areia. Ainda assim, merece uma visita pelas suas cores idílicas. A rocha permite-nos descansar um pouco antes de, inevitavelmente, nos lançarmos para um mergulho. A água é clara e transparente, calma e resplandece com a luz do sol.
Junto à praia, existe um pequeno parque de estacionamento gratuito, que enche facilmente, mas, a poucos metros de distância, é possível deixar o carro e caminhar sob a sombra do arvoredo. A chegada é uma agradável surpresa. A paisagem é esplêndida e merece alguns minutos ou horas das nossas férias.

Cala Agulla

Rodeada por densos pinheiros, Cala Agulla é uma verdadeira surpresa. Localizada no nordeste da ilha, tem um encanto difícil de explicar, mas que se sente mal os pés pisam este areal. É calma, apesar de ter muita gente, é paradisíaca, apesar do movimento.
Apoiada por um parque de estacionamento pago em terra batida, é uma praia com cerca de 500 metros de extensão envolvida pelas montanhas do Parque Natural Llevant. É um dos locais mais especiais daquela zona da ilha.

Créditos das imagens: Helena Simão
Este texto integra a rubrica “Viajar” do portal SAPO Viagens.

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *