Natal é…

Natal é ter a oportunidade de recomeçar, é ter a hipótese de corrigir, de refazer, de fazer melhor, de ser melhor. Natal é escolher iluminar com um sorriso a vida de quem apenas vê cinzentos e negros, mesmo que sejamos nós. Porque somos nós que escolhemos de que lado da vida queremos estar. Somos nós que escolhemos cheirar a rosa, apesar de sabermos que tem espinhos.
Natal é olhar para trás, aceitar e recolher todas as mágoas que temos para com os outros e para connosco e guardá-las. É aprender a pedir desculpa, a enfrentar os fantasmas e medos que se apoderam de nós e que não nos permitem ver com clareza, é aceitar que não podemos ser tudo o que queremos, mas que podemos ser muito mais.
É saber viver com as limitações que temos e não esperar de mais, exigir de mais, de nós e dos outros. Mas sobretudo de nós. É viver cada dia com a descontração de quem nada espera e de quem nada teme. É saborear cada presente como se não houvesse mais nenhum. É dizer as palavras todas nos momentos certos, quando o coração as quer deitar cá para fora. Sem barreiras, sem vergonha, sem receio.
É amar com todas as letras, mesmo sem palavras, sobretudo com gestos, com olhares, sorrisos, abraços, beijos. É fazer isso tudo hoje. E, amanhã, repetir tudo de novo. É isto o Natal.

Créditos da imagem: Direitos Reservados

 

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *