Sossega

Haverá sempre dias cinzentos, com pouca luz, em que sentes que a tempestade se aproxima. Haverá sempre obstáculos que vão surgir à tua frente, que te parecem intransponíveis naquele momento.
Haverá sempre nãos que te vão abalar, gestos de indiferença que te vão afetar, silêncios que não vais compreender. Haverá momentos de revolta em que te sentes injustiçada, em que sentes que não estás a colher frutos do que semeaste, como se não pertencesses a este mundo. Haverá dias que desejarias não viver, pessoas que preferias evitar, conversas que sabes que não vão correr bem. Haverá dias em que a saudade vai doer mais do que tudo o resto.
Sossega. Deixa que a dor venha e vá. Deixa que o sol espreite por entre as nuvens carregadas, deixa que o vento faça o que tem a fazer e empurre essas nuvens para longe. Deixa que o tempo suavize os obstáculos, amenize os nãos, atenue a indiferença. Sossega. Na hora certa, colherás os frutos do que plantaste.

Créditos da imagem: Melânia Gomes
Poderão ver mais fotografias em facebook.com/MelaniaGomesOficial

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *