O tempo

O tempo dá e o tempo tira. O tempo é um sopro de vida, que pode acender-se e crescer, transformando-se numa chama imensa. Que facilmente se pode apagar. O tempo ajuda a dissolver pontos de interrogação, ajuda a afastar as nuvens e a perceber qual o caminho que queremos seguir. Mas quando acaba, e tudo tem um fim, deixa-nos à deriva, sem farol que indique por onde seguir, sem bilhete para fazer a viagem, sem mapa para mudar de rumo.
Quando somos jovens, pensamos que temos todo o tempo do mundo, que as oportunidades estão em cada esquina e que tudo vai ser cor de rosa. Não estão e a vida consegue ser cinzenta, muitas vezes. Mas ela, a vida, está sempre lá com todas as cores para nos mostrar que o mau se torna bom, que o difícil se transforma em algo simples, que a dúvida dá lugar à certeza, que o não, um dia, vai ser sim, em maiúsculas. Ela está lá sempre para nos lembrar que o tempo tem uma duração e que as oportunidades que tivermos, porque vamos ter, são para abraçar sem olhar para trás.
O tempo pode diminuir, à medida que envelhecemos, mas não a vontade de o usar da melhor maneira, como se fosse uma preciosidade, porque é. Quanto menos tempo temos, mais lhe damos valor, mais o vivemos intensamente. Cada minuto, cada hora, cada dia são únicos. Vamos vivê-los, saboreá-los, deliciar-nos.

Créditos da imagem: Celeste Cristovan

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *