Sente

Sente, deixa que o teu corpo se revele, deixa fluir as tuas emoções, boas e más, dá-lhes liberdade. Vive, não te reprimas, ousa ser quem és, ousa ir à procura do que te faz feliz. Diz que sim quando te apetecer e não, quando o não for o melhor para ti. Respira, estejas num momento de paz, só teu, fechado no teu mundo, ou, ao contrário, em movimento, num momento repleto de pessoas à tua volta.
Enche o peito de ar, como se quisesses absorver o mundo, dar mais vida a cada célula do teu corpo. Inspira-te na bondade dos outros, no melhor que a natureza te dá, nos presentes que estás constantemente a receber, por vezes, sem te aperceberes, nos falhanços, nas quedas que dás, nos erros que cometes. Dá, dá o teu tempo, dá o teu sorriso a quem se encontra na escuridão. Não há luz mais bonita e brilhante do que uma estrela a acender-se para outra.
Descontrai, a vida não tem de ser assim tão séria. Ri de ti próprio e ri com os outros. Por mais graves que sejam os problemas, por mais difícil que pareça o obstáculo, a resposta vai surgir mais à frente. Ela já lá estava, dentro de ti, mas o tempo ajuda a torná-la mais clara. E, se houver sintonia entre o teu corpo e o teu espírito, vais perceber que a solução és tu.

Créditos da imagem: Catarina Lopes

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *