São Miguel: da terra e do mar para a mesa

Paisagens soberbas, natureza radiosa em qualquer época do ano, recantos mágicos e uma gastronomia a condizer. Em São Miguel, come-se muito bem. Os produtos são os melhores que a terra e o mar dão. Os sabores são os melhores que as mãos e a imaginação conseguem criar. Na maior ilha do arquipélago dos Açores, há também um turismo que se faz à mesa, com alegria e descontração. Sem pressa, apenas com vontade de saborear mais.
A carne de vaca e o peixe são os protagonistas da maioria das ementas e a primazia vai para os alimentos locais, pois o que é local é muito bom. Na fruta, nada se compara ao sumarento e doce ananás. Estes são os restaurantes que recomendo:

Tasca – Art, Food & Friends
É uma tasca à boa maneira portuguesa. Um lugar simples, informal e descontraído onde nos sentimos bem acompanhados. E a comida é do melhor que se pode encontrar em Ponta Delgada. Seja qual for o prato ou petisco que se peça, o resultado é sempre acima das expetativas.
O espaço era uma antiga cadeia eclesiástica feminina do século XVIII. As mesas em madeira mostram um lado rústico e a garrafeira que forra as paredes lembra-nos que este é o sítio para estar e celebrar com os amigos.
Nas entradas, destaque para o queijo fresco com compota de pimenta e amêndoa. É de comer e de querer devorar mais. A açorda de camarão é também uma excelente opção para entrada ou para juntar a outros petiscos, como a açorda de ovas.
Nos pratos principais, é famosa a barriga de atum com sementes de sésamo, que acompanha com batata doce e inhame, e o polvo à tasqueiro. O bolo de ananás é uma boa sugestão para terminar a refeição.
A Tasca está aberta todos os dias. Deve fazer reserva ao jantar, uma vez que é dos restaurantes mais procurados na ilha.

Morada: Rua do Aljube, 16, Ponta Delgada

Alabote
É restaurante e bar e fica em cima da praia, na Ribeira Grande (norte da ilha). Com uma vista privilegiada sobre o mar, somos convidados pelo proprietário Rui Cordeiro e pelos seus funcionários a desfrutar de uma experiência gastronómica com o melhor que os Açores têm para nos oferecer. Alabote significa precisamente esse convite ou como os próprios costumam dizer: “Toma o barco e anda”.
A ampla sala do restaurante enquadra perfeitamente o rústico das paredes de basalto com uma decoração mais contemporânea, tornando-a bastante acolhedora. Quanto ao menu, o destaque vai para os famosos filetes de peixe com molho de manga, uma curiosa mistura de sabores doces e salgados, que fica gravada na memória. Mas há também atum braseado e folhado de cherne.
Os pratos de carne incluem medalhões de porco com ananás dos Açores e bife à micaelense. A carne é fresca e de elevada qualidade.
O Alabote fecha apenas à quarta-feira.

Morada: Largo East Providence, 68, Ribeira Grande

O Baco
Localizado no centro de Ponta Delgada, faz parte do Hotel Ponta Delgada e foi uma boa surpresa. O atendimento é primoroso e de uma atenção cuidada, o serviço sem falhas e o menu guarda sabores variados e ricos que se apresentam coloridos e de forma original e criativa.
Além do peixe e da carne, há também pratos vegetarianos, massas, cataplanas e fondues. Nas entradas, o destaque vai para o puré de ervilhas com ovo e chouriço e para o risoto de alheira. Nos pratos principais, não falta a carne, com o protagonismo a ir para o tornedó.
O bife de atum com legumes grelhados e a bicuda grelhada com legumes salteados e puré de batata doce roxa são algumas das sugestões de peixe. Nas opções vegetarianas, o destaque vai para o risoto de legumes com crocante de queijo de São Jorge e para o bife de tofu, servido com salada de rúcula.
O restaurante está aberto todos os dias.

Morada: Rua João Francisco Cabral, Ponta Delgada

Tonys
Ir às Furnas e não experimentar o famoso cozido, preparado nas caldeiras vulcânicas, mesmo ao lado da imensa lagoa das Furnas, seria como ir a Roma e não ver o Papa. Na povoação, há vários restaurantes com esta opção na ementa, mas recomendo o Tonys. O cozido é lentamente preparado, durante cerca de seis horas, em panelas que são enterradas no solo, aproveitando o calor resultante da intensa atividade vulcânica.
É servido com repolho branco, batata, batata doce, inhame, cenoura, couve, carnes de vaca, porco e frango e enchidos de morcela preta e chouriço picante. Com este método de cozedura, as carnes ficam muito tenras e saborosas e os sabores dos alimentos ganham protagonismo.
Encontra-se aberto todos os dias.

Morada: Largo do Teatro, Furnas

Lagoa Azul
É uma casa simples, mas cheia de boas iguarias locais. Fica nas Sete Cidades, na parte plana da margem da Lagoa Azul, que lhe dá o nome. Nas entradas, destacamos as lapas grelhadas e o queijo da ilha. Nas carnes, não falta a espetada mista e a famosa morcela servida com ananás.
Quanto aos peixes, há bife de albacora ou de espadarte e outros, dependendo da época do ano ou do dia da semana. Destaco os filetes de peixe, suculentos e cozinhados na perfeição. Para terminar a refeição, nada como uma rodela de ananás ou uma fatia de tarte de ananás, para os mais gulosos.
O restaurante está aberto todos os dias e, ao fim de semana, o serviço é de buffet.

Morada: Rua da Caridade, 28, Sete Cidades

Créditos das imagens: Helena Simão e Direitos Reservados
Este texto integra a rubrica “Saborear” do portal SAPO Viagens.

Arquivo

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *